Classe Virtual:

Data/Hora Atualizada

QUER FAZER MISSÕES?

QUER FAZER MISSÕES?
O Templo precisa ser concluído. Entre em contato com o Pastor daquela igreja e saiba como ajudar

28 de março de 2016

Lição 1: A Epístola aos Romanos



Lição 1: A Epístola aos Romanos
Data: 03 de Abril de 2016

TEXTO ÁUREO
Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego(Rm 1.16).

VERDADE PRÁTICA
A Epístola aos Romanos mostra que sem a graça divina todos os nossos esforços são inúteis para a nossa salvação e comunhão com Deus.

LEITURA DIÁRIA
Segunda — Rm 1.1 - Paulo, chamado e separado pelo Senhor para ser apóstolo
Terça — Rm 1.13 - Paulo já havia tentado ir até Roma, porém, foi impedido
Quarta — Rm 1.10 - Paulo rogava a Deus para estar com os irmãos em Roma
Quinta — Rm 1.11 - Paulo desejava comunicar algum dom espiritual aos irmãos em Roma
Sexta — Rm 1.14 - Paulo dedicou toda a sua vida a divulgar as Boas Novas
Sábado — Rm 1.17 - Paulo pregou que o justo deve viver pela fé

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Romanos 1.1-17.
1 — Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus,
2 — o qual antes havia prometido pelos seus profetas nas Santas Escrituras,
3 — acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne,
4 — declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, — Jesus Cristo, nosso Senhor,
5 — pelo qual recebemos a graça e o apostolado, para a obediência da fé entre todas as gentes pelo seu nome,
6 — entre as quais sois também vós chamados para serdes de Jesus Cristo.
7 — A todos os que estais em Roma, amados de Deus, chamados santos: Graça e paz de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.
8 — Primeiramente, dou graças ao meu Deus por Jesus Cristo, acerca de vós todos, porque em todo o mundo é anunciada a vossa fé.
9 — Porque Deus, a quem sirvo em meu espírito, no evangelho de seu Filho, me é testemunha de como incessantemente faço menção de vós,
10 — pedindo sempre em minhas orações que, nalgum tempo, pela vontade de Deus, se me ofereça boa ocasião de ir ter convosco.
11 — Porque desejo ver-vos, para vos comunicar algum dom espiritual, a fim de que sejais confortados,
12 — isto é, para que juntamente convosco eu seja consolado pela fé mútua, tanto vossa como minha.
13 — Não quero, porém, irmãos, que ignoreis que muitas vezes propus ir ter convosco (mas até agora tenho sido impedido) para também ter entre vós algum fruto, como também entre os demais gentios.
14 — Eu sou devedor tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes.
15 — E assim, quanto está em mim, estou pronto para também vos anunciar o evangelho, a vós que estais em Roma.
16 — Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego.
17 — Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.

HINOS SUGERIDOS
75, 432 e 440 da Harpa Cristã.

OBJETIVO GERAL
Apresentar uma visão panorâmica da carta de Paulo aos Romanos, ressaltando a terrível situação espiritual na qual se encontra a humanidade depois da Queda.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

  • I. Conhecer o autor, o local, data e destinatários da Epístola aos Romanos;
  • II. Mostrar a forma literária, conteúdo e propósito da Epístola aos Romanos;
  • III. Explicar o valor espiritual da Epístola aos Romanos.

INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Prezado professor, neste trimestre teremos a oportunidade ímpar de estudarmos a respeito da Epístola aos Romanos. Nesta carta o apóstolo Paulo expõe, de maneira profunda, a doutrina da justificação pela fé, mediante a graça divina. Paulo mostra que a graça de Deus e a salvação são para todos, judeus e gentios.
O comentarista do trimestre é o pastor José Gonçalves — escritor, conferencista, bacharel em Teologia, graduado em Filosofia; membro da Diretoria da Convenção Estadual da Assembleia de Deus do Piauí (CEADEP) e do Conselho de Apologética da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB). Que o Deus de amor e de graça o abençoe e que você e seus alunos possam crescer na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

COMENTÁRIO

INTRODUÇÃO
Neste trimestre teremos o privilégio de estudar a Epístola de Paulo aos Romanos. Podemos afirmar que jamais seremos os mesmos depois de uma leitura cuidadosa e um estudo sistemático dessa Epístola. Romanos mostra que o Evangelho é o poder de Deus para a salvação dos judeus e gentios. Revela também que o homem, perdido nas trevas do pecado, é reconciliado com Deus mediante a sua graça. Essa graça é o que nos justifica e nos qualifica a ter comunhão com Ele. Na Epístola aos Romanos aprendemos que a natureza adâmica, que domina o velho homem, é destronada pela fé em Cristo, e que é possível vivermos em novidade de vida através do poder do Espírito Santo que opera em nós. Veremos que esta Carta é um chamado à liberdade cristã. [Comentário: A proposta deste trimestre é ousada enquanto navega por águas profundas da teologia paulina aplicada à doutrina da justificação pela fé. Agostinho, Lutero e Wesley, três figuras extremamente importantes para a nossa herança cristã, viveram a firmeza da fé através do impacto da carta aos Romanos em suas vidas. Ao estudar esta obra de Paulo e os respectivos comentários de Santo Agostinho, Lutero chega às questões de justificação, graça e fé, centrais na reforma protestante. Curiosamente, para Lutero, a Carta aos Romanos era uma espécie de porta para a compreensão de toda a Escritura. "O primeiro mérito de Lutero é ter destacado, ainda que por vias tortuosas, o evangelho de Paulo, o mais antigo escritor do Novo Testamento e o primeiro intérprete da mensagem cristã. Para ele, a carta abre à inteligência de toda a Bíblia, que deve ser entendida toda de Cristo". Paulo explica aos Romanos como a salvação é aplicada por meio do Evangelho de Jesus Cristo. Esta é a primeira e a mais longa das Epístolas Paulinas, e é considerada a epístola com o "mais importante legado teológico". As cartas apostólicas, como um todo, constituem-se num importantíssimo segmento do ensinamento neotestamentário, porque são um vasto celeiro de ensinamentos teológicos, doutrinários e morais. Dentre as cartas de Paulo, certamente, a Carta aos Romanos ocupa lugar de destaque. Alguém já a chamou de “evangelho dentro do evangelho”, dado à forma linear, sistemática, profunda e completa pela qual seu autor expõe sua compreensão do plano da salvação. Assim expressou-se Lutero acerca desta epístola: “Esta carta é verdadeiramente a mais importante peça do Novo Testamento. É o evangelho mais puro.” Juntamente com o texto áureo, o versículo 17 <<“Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé”>> enfatiza que a justiça de Deus é a maneira de Deus justificar os pecadores, isto é, justificá-los perante Ele mesmo sem comprometer seu caráter moral absolutamente puro. Como está escrito: Habacuque 2.4 indica que a salvação somente pela fé também era claramente ensinada no Antigo Testamento – Note os exemplos de Abraão e Davi em Rm 4.1-8; Veja também Hb 11. As pessoas não eram salvas pelas obras ou obediência à Lei do Antigo Testamento mais do que do Novo Testamento, as pessoas colocavam fé em um Messias que ainda chegaria (Veja Jo 8.56 e Hb 11.13)] Dito isto, vamos pensar maduramente a fé cristã?

PONTO CENTRAL

A Epístola aos Romanos é um chamado à liberdade cristã.

A Epístola aos Romanos é uma ‘tentativa’ de Paulo em conseguir o apoio daquela Igreja para o seu projeto missionário em Társis, Espanha. O Auxílio ao Mestre estende a você o convite para apoiar o 1º Avanço Missionário patrocinado pelo AuxílioaoMestre.com. Seja nosso Parceiro para evangelização do município de São José dos Ramos, interior da Paraíba, no próximo dia 1º de maio, com uma pequena doação! Clique aqui e veja como.

27 de março de 2016

PRIMEIRO AVANÇO MISSIONÁRIO DE 2016



1º de Maio, feriado nacional do Dia do Trabalho, estaremos embarcando para São José dos Ramos, interior da Paraíba, para realizarmos o Trabalho do Mestre! Venha com a gente!
Acesse http://www.auxilioaomestre.com/p/blog-page.html e leia sobre este projeto e como se engajar nele.
"vós sereis testemunhas de tudo isso" (Lc 24.48) - Ser missionário de Jesus Cristo é a missão dos cristãos. Portanto missionário é uma pessoa que fala do amor de Jesus. Vive na fronteira da fé e derruba qualquer barreira, geográfica ou sociológica, religiosa ou humana, real ou virtual.

Lição 1: A Epístola aos Romanos (AD Abreu e Lima-PE)

Lição 1: A Epístola aos Romanos (Prof Caramuru)

Lição 1: A Epístola ao Romanos (Ev Fábio Segantin)

Lição 1: A Epístola aos Romanos (EBP em Foco)

22 de março de 2016

Lição 13: O destino final dos mortos



Lição 13: O destino final dos mortos
Data: 27 de Março de 2016

TEXTO ÁUREO
Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens(1Co 15.19).

VERDADE PRÁTICA
Os salvos, que morrerram em Cristo, aguardam a ressurreição no céu e os ímpios a esperam no Hades, em sofrimento indizível.

LEITURA DIÁRIA
Segunda — Dn 12.2 - Os que dormem no Senhor ressuscitarão
Terça — Sl 9.17 - Os ímpios serão lançados no lago de fogo
Quarta — Pv 15.24 - Para o tolo o caminho do inferno está “embaixo”
Quinta — Ap 14.13 - Felizes os que desde agora morrem no Senhor
Sexta — Fp 1.21 - O crente não teme a morte, pois para o salvo “o morrer é ganho”
Sábado — Fp 3.21 - O corpo do salvo ressurreto será semelhante ao do Senhor Jesus

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Lucas 16.19-26.
19 — Ora, havia um homem rico, e vestia-se de púrpura e de linho finíssimo, e vivia todos os dias regalada e esplendidamente.
20 — Havia também um certo mendigo, chamado Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta daquele.
21 — E desejava alimentar-se com as migalhas que caíam da mesa do rico; e os próprios cães vinham lamber-lhe as chagas.
22 — E aconteceu que o mendigo morreu e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico e foi sepultado.
23 — E, no Hades, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão e Lázaro, no seu seio.
24 — E, clamando, disse: Abraão, meu pai, tem misericórdia de mim e manda a Lázaro que molhe na água a ponta do seu dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama.
25 — Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro, somente males; e, agora, este é consolado, e tu, atormentado.
26 — E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá, passar para cá.

HINOS SUGERIDOS
83, 187 e 206 da Harpa Cristã.

OBJETIVO GERAL
Mostrar que os salvos vão aguardar a ressurreição no Paraíso de Deus e os ímpios a esperam no Hades.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.
  • I. Explicar o estado intermediário dos mortos;
  • II. Saber a real situação espiritual dos mortos;
  • III. Mostrar o destino final dos mortos.

INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Com a graça de Deus, chegamos ao final de mais um trimestre. Esperamos que as lições tenham implantado nos corações de seus alunos a esperança de que Jesus voltará a qualquer momento. Essa é a nossa real espera. Na lição de hoje, estudaremos a respeito do destino final dos crentes e dos ímpios que já morreram. A Palavra de Deus nos assegura que os mortos em Cristo ressuscitarão para a vida eterna ao lado do Salvador. Esse é o destino final dos crentes. Porém, os ímpios, vão ressuscitar para o desprezo eterno. Seu destino final é o inferno, onde haverá dor, vergonha e tristeza. Que possamos anunciar o Evangelho, ganhando pessoas para Cristo e livrando-as da condenação eterna.

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
Na lição de hoje estudaremos o destino final dos ímpios e dos salvos em Jesus Cristo. A Palavra de Deus nos garante que não será em vão a nossa esperança em Jesus Cristo, pois pela fé já temos assegurado um futuro glorioso ao seu lado. Para os ímpios, que não se arrependeram, é reservado o sofrimento e a condenação eterna, pois suas escolhas enganosas os levaram a desprezar a salvação de Deus. [Comentário: “Em Lucas 16.23, diz que o rico foi para o ‘Hades’ e Lázaro para o ‘Seio de Abraão‘. A pergunta é: onde se situava um e outro lugar. Em primeira instância podemos declarar que é impossível situar a localização geográfica destes dois lugares, por se tratar da habitação dos espíritos. Todavia, apresentaremos a posição bíblica analisando ambos, dentro do parâmetro contextual divino “além-túmulo”. Nas Escrituras hebraicas, a palavra usada para descrever o reino dos mortos é Sheol. Ela significa simplesmente o "lugar dos mortos" ou o "lugar das almas/ espíritos que partiram." A palavra grega do Novo Testamento usada para "inferno" é hades, que também se refere ao "lugar dos mortos". A palavra grega gehenna também é usada no Novo Testamento para "inferno" e é derivada da palavra hebraica hinnom. Outras Escrituras no Novo Testamento indicam que Seol/Hades é um lugar temporário onde as almas dos infiéis são mantidas enquanto aguardam a ressurreição e julgamento final no julgamento do Grande Trono Branco. Ao morrerem fisicamente, as almas dos justos vão diretamente para a presença de Deus - céu/paraíso/seio de Abraão (Lc 23.43; 2Co 5.8, Fp 1.23). Lázaro foi para o seio de Abraão e o rico para o inferno. Eles permaneceram num estado consciente, um está no lugar de punição e o outro no lugar de recompensa, e não há possibilidade de saírem de onde estão. Essa parábola ensina que depois da morte as almas dos salvos vão para o paraíso, enquanto que as almas dos perdidos vão para o inferno. Só existem esses dois lugares e quem foi para um deles não pode mais sair. Por três vezes em Marcos 9, Jesus adverte aos discípulos: “melhor é para ti entrares na vida-reino de Deus – aleijado, coxo e cego – do que ires para o inferno” (v. 43, 45, 47). A cada advertência Jesus também acrescenta algo sobre o inferno: “para o fogo que nunca se apaga [ARA- inextinguível] (2x)” seguida de outro qualificativo: “onde o seu bicho não morre”. É sobre esta descrição terrível vindo da doce voz do Senhor, que estudaremos hoje.] Dito isto, vamos pensar maduramente a fé cristã?

14 de março de 2016

Lição 12: Novos Céus e nova Terra



Lição 12: Novos Céus e nova Terra
Data: 20 de Março de 2016

TEXTO ÁUREO
Porque eis que eu crio céus novos e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão(Is 65.17). [Comentário: A natureza está escravizada pelo pecado (Rm 8.20,21). Ela está gemendo aguardando a redenção do seu cativeiro. Quando Cristo voltar a natureza será também redimida e teremos um universo completamente restaurado.]

VERDADE PRÁTICA
Os crentes viverão eternamente com Jesus Cristo na cidade santa, a Nova Jerusalém.

LEITURA DIÁRIA
Segunda — 2Pe 3.13 - Aguardamos novos céus e nova Terra
Terça — Dt 10.14 - Os céus e os céus dos céus pertencem ao Todo-Poderoso
Quarta — Jó 2.1,2 - Satanás rodeia e passeia pela Terra
Quinta — Ef 2.1,2 - As potestades do ar e as hostes malignas
Sexta — Sl 9.17 - Os ímpios serão lançados no lago de fogo
Sábado — Ap 21.2 - A Nova Jerusalém está sendo preparada para os santos

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Apocalipse 21.1-5,24-27.
1 — E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.
2 — E eu, João, vi a Santa Cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido.
3 — E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles e será o seu Deus.
4 — E Deus limpará de seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já as primeiras coisas são passadas.
5 — E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve, porque estas palavras são verdadeiras e fiéis.
24 — E as nações andarão à sua luz, e os reis da terra trarão para ela a sua glória e honra.
25 — E as suas portas não se fecharão de dia, porque ali não haverá noite.
26 — E a ela trarão a glória e honra das nações.
27 — E não entrará nela coisa alguma que contamine e cometa abominação e mentira, mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.

HINOS SUGERIDOS
94, 625 e 630 da Harpa Cristã.

OBJETIVO GERAL
Mostrar que os crentes viverão para sempre com Jesus Cristo na nova Jerusalém.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.
  • I. Explicar que todas as coisas na terra serão renovadas;
  • II. Saber que haverá novos céus e nova terra;
  • III. Mostrar o que será a Nova Jerusalém.

INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Deus criou os céus e a terra, mas a Queda maculou a criação divina. Os céus e a terra também serão transformados e purificados pelo Senhor. O Criador vai restaurar, mediante o seu poder, todo o universo, expurgando os efeitos do pecado. Para os crentes, Deus está preparando um lugar novo, a nova Jerusalém. A cidade santa onde vão habitar todos aqueles que foram remidos pelo Senhor. Ali não haverá mais pecado, dor ou morte. Desfrutaremos eternamente da companhia do Senhor Jesus. Nossa alegria não está neste mundo. Aqui enfrentamos tristezas e dores, mas um dia estaremos livres de todas as intempéries deste mundo. A Nova Jerusalém nos espera.

COMENTÁRIO

INTRODUÇÃO
O pecado de desobediência de Adão e Eva afetaram toda a criação, incluindo a natureza. Como consequência da Queda a terra recebeu uma sentença de juízo (Gn 3.17). A natureza aguarda a sua redenção, que será instaurada por Deus no fim dos tempos (2Pe 3.13). Paulo diz que Deus, “segundo o seu beneplácito”, tomou a decisão “de tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra” (Ef 1.5,10). [Comentário: Pela desobediência aos termos do seu governo, o homem cai, experimentando assim a perda do seu domínio (Gn 3.22,23). Tudo o que se acha no seu domínio delegado, inclusive a terra, passa a estar sob a maldição. Paulo afirma que: “Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus” (Rm 8.20,21). É fato que a criação está passiva diante das atrocidades da humanidade, mas não por sua própria vontade e, consequentemente, todos sofrem com a situação alarmante que a natureza passa hoje. É importante observar as palavras que Paulo usa para descrever esse cativeiro da criação: sofrimento (Rm 8.18), vaidade (Rm 8.20), corrupção (Rm 8.32) e angústias (Rm 8.22). O Rev. Hernandes Dias Lopes em seu artigo ‘Os Gemidos do Mundo’, escreve: “A redenção da criação está conectada com a glorificação dos filhos de Deus (Rm 8.19,21). A criação foi amaldiçoada por causa do pecado do homem e será redimida do cativeiro da corrupção na glorificação dos salvos. Sua redenção do cativeiro não se dará antes nem à parte da glorificação dos salvos. Então, haverá liberdade em vez de escravidão, glória incorruptível em vez de decomposição. Se nós vamos participar da glória de Cristo, a criação participará da nossa glória. A criação aguarda ansiosamente a manifestação dos filhos de Deus (Rm 8.19,21). A criação vive como que na ponta dos pés, esticando o pescoço, olhando para esse futuro que virá trazendo em suas asas a restauração de todas as coisas. A expectativa da criação é uma esperança viva e certa. Os gemidos da criação não são de desespero, mas de esperança (Rm 8.22). A criação não se contorce com os gemidos da morte, mas ela geme como uma mulher que está para dar à luz. Seus gemidos não são de desespero, mas de gloriosa expectativa. Ela não geme por causa de um passado inglório, mas por causa de um futuro glorioso. Os gemidos da criação não são dores que carecem de sentido e de propósito, mas são dores inevitáveis no vislumbre de uma ordem nova. A escravidão da decadência dará lugar à liberdade da glória (Rm 8.21). Às dores de parto seguirão as alegrias do nascimento (Rm 8.22). O universo não será destruído, mas sim libertado, transformado e inundado da glória de Deus. Amém!” http://hernandesdiaslopes.com.br/2009/09/os-gemidos-do-mundo/#.VucYc0AszIV] Dito isto, vamos pensar maduramente a fé cristã?

PONTO CENTRAL
Todos os crentes fiéis estarão com o Senhor Jesus Cristo na Nova Jerusalém.

Esta lição é apropriada para lançar a campanha do 1º Avanço Missionário patrocinado pelo AuxílioaoMestre.com. Seja nosso Parceiro para evangelização do município de Catingueira, sertão da Paraíba, no próximo dia 1º de maio! Clique aqui e veja como.